21/01/2014

Tu não me tens mais


Querida, tu não me cativas mais, não me toma mais em seus braços, não me aninha, não me nina, não me tens junto a ti.
Não adianta chorar nem espernear como a criança birrenta que é. A sua escuridão e sua amargura não me atraem mais. Consegui enxergar lá fora um mundo melhor. Pessoas boas, novos amigos, flores, músicas alegres e cores.
Vamos por um ponto final em tudo? 
Deixe-me viver uma vida de paz, tenho um longo caminho pela frente e não pretendo ficar aqui, aninhada em teus braços. Quero a mesma liberdade dada aos pássaros, olhar o céu e ver algo bonito nele, quero ver a esperança e a pureza nos olhos de uma criança. Quero sonhar de novo e quero realizar meus sonhos.
Desculpa Depressão, mas você perdeu dessa vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário